Estrabismo

├ë quando h├í perda do paralelismo entre os olhos. Popularmente as pessoas com estrabismo s├úo chamadas de ÔÇ£vesgasÔÇØ.

Embora a forma mais comum seja o desvio convergente (desvio de um dos olhos para dentro), podem ser divergentes (desvio para fora) ou verticais (um olho fica mais alto ou mais baixo do que o outro).

Os estrabismos podem se apresentar de três maneiras:

  • constantes: o desvio de um dos olhos ├® permanentemente observado e chamamos de monoculares quando ├® sempre o mesmo olho que desvia e de alternantes quando ├® ora um e ora outro que desvia.
  • intermitentes: ora os olhos est├úo alinhados e ora h├í desvio, sendo mais freq├╝ente nos estrabismos divergentes.
  • latentes: s├│ s├úo verificados com testes ao exame de motilidade ocular.

Tratamentos

Os estrabismos s├úo corrigidos com ├│culos ou cirurgia. Operam-se os estrabismos que n├úo s├úo corrigidos com ├│culos ou a parte que os ├│culos n├úo conseguem corrigir.

A cirurgia atua sobre a musculatura ocular. O grupo muscular que ser├í operado depende do tipo de desvio ocular de cada paciente. Em alguns casos, poder├í ser necess├íria mais de uma interven├º├úo cir├║rgica.├ë realizado freq├╝entemente, sob anestesia geral em centro cir├║rgico, podendo em adultos ser realizada sob anestesia local. A recupera├º├úo p├│s-operat├│ria ├® r├ípida,e em cerca de uma semana os pacientes podem recuperar suas atividades habituais.

Lembramos sempre que a cirurgia do estrabismo ├® uma complementa├º├úo do tratamento cl├¡nico.

Contatos

R. Cap. Souza Franco, 95 - Batel, Curitiba - PR, 80730-420
(41) 3015-6222
(41) 3233-0222

Envie uma mensagem

Cadastre-se

Cadastre seu email e receba nossa newsletter